Home / Carta do Primo / Vereadores que tomaram posse domingo passado já estão de férias. E Michel Temer quer que você trabalhe…
Vereadores que tomaram posse domingo passado já estão de férias. E Michel Temer quer que você trabalhe…

Vereadores que tomaram posse domingo passado já estão de férias. E Michel Temer quer que você trabalhe…

 

Bocaiúva, 4 de janeiro de 2017.

Primo,

“Pimenta nos olhos dos outros é refresco” é um adágio popular que qualquer pessoa, desde tenra idade, conhece. Talvez seja por isso que o presidente Michel Temer, que se aposentou com pouco mais de 50 anos de idade, quer que o brasileiro só se aposente aos 65 anos, mesmo que tenha começado a trabalhar aos 16 anos. Essa regra, no entanto, não se aplica a todos os viventes. Para o executivo, legislativo e judiciário deve prevalecer outra.

E para quem depende de emprego político? Esse, coitado, dificilmente vai conseguir uma aposentadoria. Ganha uma eleição, a chamada boquinha está garantida; perde, lá se vai ela (a boquinha) pro brejo, e o sujeito, que de acordo com o presidente da República só poderá se aposentar com 49 anos de contribuição com o INSS, vai pro banco de reserva. E lá, sentadinho, aguarda outros quatro anos, que poderão ser prorrogados por mais quatro se o time (grupo político) estiver jogando bem e fazendo os gols que o povo precisa, e sonha. Vale ressaltar que o time de Ricardo Veloso, mesmo com um futebolzinho em nível de quarta divisão, o reelegeu em 2012.

Pois é, Primo, com esse trabalha, para; trabalha, para; trabalha, para, o indivíduo só vai conseguir se aposentar se tiver a sorte de viver como viveu o bíblico Matusalém: 969 anos.

E as férias de quem trabalha de sol a sol? Continuam as mesmas: 30 dias por ano. “Sol a sol”, viu!  Porque as dos políticos, que usam em vão a palavra trabalho em suas campanhas eleitorais, têm um tratamento diferenciado. Duvida? Então, veja: os vereadores que tomaram posse domingo à noite saíram de férias na segunda-feira de manhã. Isso mesmo, os trabalhos legislativos só começam em fevereiro, após as “merecidas” férias dos senhores vereadores.

O lado positivo nessa história é que o novo presidente, delegado Adalberto Fernandes, está prometendo resgatar a credibilidade da Câmara de Bocaiúva, enxovalhada pela maioria dos vereadores que a compunham na legislatura que chegou ao fim domingo passado e considerada a pior dos anais da história de Bocaiúva. Excluir cargos desnecessários, estabelecer um rígido controle no uso das diárias, acabar com o apadrinhamento político, extinguir de vez a famigerada “metadinha” que só não via quem não queria ver e fazer uma economia em torno de R$ 600 mil neste primeiro ano. O concurso público também está na pauta e certamente vai ser cobrado pelo MP, com o qual a Câmara assinou um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) e que deverá ser lembrado pelos promotores Daniel, Ílio e Paulo Márcio.

“Teje preso”

Um abraço!

Pedro Trabalho Forçado Rodriguez

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Scroll To Top