Home / Destaque / Justiça bloqueia bens do ex-prefeito Adevaldo Praes, de Guaraciama
Justiça bloqueia bens do ex-prefeito Adevaldo Praes, de Guaraciama

Justiça bloqueia bens do ex-prefeito Adevaldo Praes, de Guaraciama

 

O juiz Ronan de Oliveira Rocha, da 2ª Vara Cível da Comarca de Bocaiúva (MG), determinou o sequestro de todos os bens móveis e imóveis do ex-prefeito de Guaraciama (foto), Francisco Adevaldo Soares Praes (DEM), 50 anos. Apenas os animais existentes em suas fazendas foram poupados, por falta de local adequado para mantê-los. A decisão é de segunda-feira (27). A medida foi pedida pela Prefeitura de Guaraciama, através da advogada Eliana Fabrícia Cardoso e recebeu parecer favorável do promotor de justiça Danniel Librelon Pimenta.

Com o sequestro, ficaram indisponíveis as Fazendas Felix, Fazenda Felix I, Santa Cruz e Pé do Morro, espalhadas pelos municípios de Montes Claros, Juramento e Bocaiúva, além automóveis e caminhões, além do dinheiro existente em contas bancárias do político que foi prefeito por três mandatos: 1997-2000, 2001-2004 e 2009-2012. Nesse período, o patrimônio de Adevaldo Praes aumentou inacreditáveis 10.743,22%, passando de R$ 28,5 mil em 1996 para mais de R$ 3 milhões em 2008, de acordo com informações por ele mesmo prestadas à Justiça Eleitoral. No período, o total dos salários por ele recebido como prefeito foi de R$ 450 mil.

O sequestro dos bens requerido pela Prefeitura de Guaraciama visa assegurar a efetividade de decisões judiciais que condenaram o prefeito ao pagamento de multas e devolução de recursos ao erário. O montante das condenações até agora chegaria a cerca de R$ 850 mil, mas a advocacia do município lembra que o prefeito responde a mais de uma dúzia de ações de criminais e de improbidade perante as justiças estadual e federal.

Para o juiz Ronan de Oliveira Rocha, o sequestro foi necessário por causa da “concreta possibilidade de dilapidação ou ocultação de patrimônio” por parte do ex-prefeito com o objetivo de “frustrar o ressarcimento ao erário e do efetivo cumprimento das sanções a serem impostas, além das já consolidadas”.

 

Com Fábio Óliva

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Scroll To Top