Home / Carta do Primo / CARTA DO PRIMO: Chuva de granizo na horta dos vereadores de Bocaiúva
CARTA DO PRIMO: Chuva de granizo na horta dos vereadores de Bocaiúva

CARTA DO PRIMO: Chuva de granizo na horta dos vereadores de Bocaiúva

 

Bocaiúva, 23 de março de 2014.

 

Primo,

 

Nessa madrugada caiu uma chuvinha. Coisa pouca, mal deu para sentir aquele cheirinho de terra molhada. Fevereiro e março passamos a seco. Até mesmo a expectativa da generosa enchente de São José falhou. Sei não, acho que o santo anda meio desprestigiado – briga não, porque santo não briga – com o colega São Pedro, que é o responsável por esse setor.

Chuva mesmo, Primo, só na horta dos vereadores de Bocaiúva. E das grossas! O presidente da Câmara Romário Sabino, que é o ordenador das despesas da Casa, deu uma de São Pedro e derramou uma chuva de granizo nas diárias dos vereadores. Para se ter uma ideia da ganância desses representantes dos bocaiuvenses, eles receberão dos cofres públicos 3 mil e 500 reais caso façam uma viagem de 5 dias a Belo Horizonte; valor que pula para 5 mil reais se a viagem for para Brasília. Para ilustrar esse descalabro, é bom lembrar que cinco dias no luxuoso Othon Palace – aquele que fica ali em frente ao Parque Municipal – na capital mineira, em apartamento para duas pessoas, com todas as mordomias que raríssimas pessoas de Bocaiúva têm o privilégio de sonhar, ficam atualmente em R$ 1.645,00, ou seja, R$ 822,50 por pessoa (repetindo, 5 diárias). Em Brasília, no chiquérrimo Saint Peter Hotel – aquele da polêmica do Zé Dirceu -, os cinco dias de dois vereadores bocaiuvenses não passariam de R$ 1.775,00, que, novamente lembrando, divido pelos dois dariam 887,50. Como não precisam comprovar os gastos – o que é uma vergonha! -, obviamente, os honestos representantes do sofrido povo de Bocaiúva que se dispuserem a fazer essas viagens para “defender os interesses do município” vão devolver o troco para que seja usado em benefício desse povo. Será?

Você deve ter visto aí uma matéria que postei no meu site, o caso de um vereador de Mata Grande, no interior do estado de Alagoas, que foi amarrado num poste. Não estou querendo – nem devo – fazer apologia à violência, mas confesso que não seria nenhuma surpresa se essa cena se repetisse em Bocaiúva. Só que -aqui – um poste seria pouco.

Um abraço!

Pedro Granizo Rodriguez

EM TEMPO: Primo, publico esta semana um dossiê. Você, mais uma vez, está autorizado a mandar uma cópia para o Dr. Ílio Jefferson Antunes de Souza, Dr. Daniel Librelon, Dr. Paulo Márcio, Dr. Henry Wagner Vasconcellos e demais doutores que possam ajudar a socorrer os cofres públicos de Bocaiúva.

 

 

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Scroll To Top